Quem sou eu

Minha foto

sou jornalista, colunista social, editora chefe do portal vilmaborges, que possui 4 blogs/coluna que falam de Bauru e sua gente, além de assuntos  como  turismo,  gastronomia, beleza, decoração, saúde, notícias nacionais e internacionais, além de agenda cultural e coberturas fotográficas.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Médica de Bauru lança primeiro livro-texto brasileiro só sobre Doenças Inflamatórias Intestinais em parceria pioneira 'Brasil-Harvard'




Doenças Inflamatórias Intestinais podem causar cegueira, perda de rim e fígado, confirma livro inédito de médica de Bauru (SP), lançado em parceria pioneira ‘Brasil-Harvard’

Médicos brasileiros têm agora ‘primeira grande fonte brasileira’ sobre Doenças Inflamatórias Intestinais

*Numa iniciativa inédita, médica brasileira, nascida em Bauru (SP), pesquisadora em Harvard (EUA) – que clinica em Campo Grande (MS) – e médico norte-americano professor de Harvard lançam no Brasil primeiro livro-texto brasileiro só sobre Doenças Inflamatórias Intestinais (anexas fotos dos autores e capa do livro)

**‘Livro preenche lacuna’, diz Federação Brasileira de Gastroenterologia

***Pesquisa mostra que doenças não têm origem emocional e mostra ‘os pares de cromossomos afetados’

****Estudo mostra que DIIs tem aumentado no mundo e atinge mais jovens, gerando perdas individuais e sociais

*****Livro traz estudo epidemiológico comparativo inédito sobre DIIs, diz pesquisadora brasileira em Harvard

******Obra detalha os melhores exames, formas de diagnósticos e medicamentos para as DIIs

Pela primeira vez na história da medicina brasileira, os médicos brasileiros acabam de ganhar a primeira grande fonte de informações em língua portuguesa sobre um problema de saúde ainda um tanto desconhecido por boa parte dos médicos e, principalmente, pelos pacientes: as chamadas Doenças Inflamatórias Intestinais – conhecidas no meio médico pela sigla DIIs.

Trata-se do livro “Doenças Inflamatórias Intestinais – Retocolite Ulcerativa e Doença de Crohn”, que está sendo lançado esta semana no Brasil pela Editora Rubio.

Escrito, organizado e editado pela médica brasileira Dídia Bismara Cury e pelo médico norte-americano Alan Colm Moss, prof. de medicina da Universidade de Harvard, o livro é o primeiro do tipo a ser lançado no Brasil e representa uma parceria inédita entre uma médica brasileira e uma das maiores universidades do mundo.

São mais 40 artigos de super especialistas, professores das principais universidades brasileiras e também de Harvard, distribuídos em 35 capítulos, que fornecem um “raio X” detalhado e multidisciplinar sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais. Trata-se do primeiro livro-texto do Brasil sobre o problema, tornando-se a primeira grande fonte de informações e dados importantes.

“Por exemplo, que as DIIs podem gerar manifestações fora do intestino, como problemas oculares, que podem conduzir à cegueira. Ou ainda cálculos renais, que podem gerar perda do rim bem como a perda do fígado”, detalha a doutora Dídia Cury, médica brasileira, pesquisadora da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e também da Universidade de Harvard – e que atua como clínica em Campo Grande (MS).

A doutora Dídia explica que a obra registra revelações importantes sobre as causas dessas doenças. “Hoje nós sabemos que essas doenças não têm origem emocional, como se imaginava no passado. E o livro mostra os pares de cromossomos que estão afetados, o que causa a doença”, destaca a médica.

Segundo ela, o livro ainda detalha os avanços em pesquisas genéticas e na área de imunologia, num capitulo escrito pela maior autoridade mundial no assunto e que pertence a Universidade de Cleveland.

De acordo com a médica, a obra traz também um importante estudo epidemiológico da doença, detalhando dados comparativos entre Mato Grosso do Sul e São Paulo.

“Nós ainda não tínhamos nenhum estudo publicado sobre esses dados de modo comparativo. Os estudos epidemiológicos conduzem a outros grandes estudos que traçam o perfil e a abordagem de como uma doença se comporta em determinada população, quais as suas características, como é a resposta que se dá frente aos medicamentos. Isso é um avanço inédito quando se tem o perfil dos pacientes nos quais a doença esta inserida. Com isso, podemos ter um melhor tratamento para esses pacientes”, resumiu a doutora Dídia.

“Essa obra alerta os especialistas de que essas doenças não conduzem apenas a uma diarréia. E que é importante tratar de modo efetivo, para que o paciente, ao longo do tempo, não sofra com complicações, sendo a mais temível o câncer de intestino”, completou a médica.

Para isso, explicou a doutora Dídia, o livro detalha quais são os exames que identificam melhor a doença, mostra quais são os novos marcadores de inflamação mais efetivos e mais modernos, assim como os medicamentos mais adequados.

“Isso é importante para poder dar a certeza de que o tratamento estabelecido é correto. Por se tratar de uma doença crônica, existe um escalonamento de tratamento que é totalmente individualizado. Portanto, é necessário o médico saber quais são os melhores exames que possam dar a resposta para um tratamento correto. E o livro aponta esses exames passo a passo. Em relação aos medicamentos, o livro aborda desde os mais simples até as mais novas descobertas; assim como o que se usa nos EUA e quais os novos rumos para novos medicamentos”, detalhou Dídia.

A doutora Dídia explica que as doenças inflamatórias intestinais têm aumentado em todo o mundo, principalmente a doença de Crohn. E dado interessante é que elas incidem mais em jovens. E isso pode acarretar diversas complicações, tanto para o indivíduo como para a sociedade, como ausência no trabalho por causa da doença, infertilidade, deficit no aprendizado escolar pela desnutrição e pela ausência escolar, entre outros.

E além de todo problema fisiológico – por se tratarem de doenças crônicas e apresentarem num curso clínico intermitente, com surtos de exacerbação clínica caracterizados por diarréia com vários episódios ao dia, dor abdominal, indisposição etc. –, as Doenças Intestinais Inflamatórias também comprometem a qualidade de vida desses pacientes de modo significativo.

“Podem ainda gerar isolamento social pela incapacidade do indivíduo de estar convivendo de modo adequado com os demais”, explica Dídia.

Ela explica também que o livro traz um alerta aos especialistas. E detalha como abordar um grupo de pacientes importantes: as gestantes.

O livro foi lançado no Brasil no dia 23 de novembro, em Florianópolis (SC), durante a 9ª Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, um dos mais importantes eventos do setor, realizado pela Federação Brasileira de Gastroenterologia, a mais importante entidade brasileira. A obra foi lançada aqui pela Editora Rubio. E já está sendo considerado um marco no meio médico.

Primeiro porque representa uma parceria inédita entre uma médica brasileira e um médico professor da Faculdade de Medicina de Harvard, dos EUA, uma das melhores do mundo.

E, segundo, porque é o primeiro “livro-texto” brasileiro de gastroenterologia que trata exclusivamente de um tema que desperta cada vez mais atenção de médicos e pacientes em todo mundo: as doenças inflamatórias intestinais, como Retocoli Ulcerativa e Doença de Crohn.

“É com muito orgulho que a Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) apresenta o livro-texto de Doença Inflamatória Intestinal, parabenizando seus autores pela magnífica idéia de apresentar de forma detalhada uma das doenças que mais tem chamado a atenção dos colegas gastroenterologistas, pelos grandes avanços obtidos tanto em sua fisiopatologia, como no diagnóstico e tratamento”, escreveu Jaime Natan Eisig, Presidente da Federação Brasileira de Gastroenterologia, no prefácio do livro.

“Em nosso meio, sentia-se falta de um livro mais abrangente sobre o tema e, sem dúvida nenhuma, esse livro preenche uma lacuna importante dentro da gastroenterologia. Outro aspecto muito importante é que, de forma inédita, ocorre uma parceria de autores nacionais com eméritos professores da conceituada Universidade de Harvard, o que recomenda ainda mais a leitura do livro”, destacou Natan Eisig.

De Campo Grande para Harvard:

Coautora da obra, a médica Dídia Bismara Cury é um fenômeno da medicina do Brasil.

Brasileira, nascida na cidade de Bauru, no interior de São Paulo, trabalha hoje em clínica médica em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e mantém um extenso trabalho de pesquisa científica que extrapola e muito as fronteiras nacionais, tanto geográficas quanto científicas.

Só para se ter uma idéia, Dídia Bismara Cury é Pesquisadora Visitante do Centro de Pesquisa Translacional de Doenças Inflamatórias Intestinais do Beth Israel Deaconess Hospital da Universidade de Harvard, de Boston, dos EUA.

Além disso, trata-se de uma super especialista no tema do livro em questão: Doutora em Ciências Médicas pela Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina (UNIFESP – EPM) e Mestre em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Dídia Bismara Cury é Membro da American Gastroenterology Association (AGA) e Membro Titular da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG).

De Harvard para o Brasil:

A “parte” norte-americana do livro também é referência internacional no assunto.

Alan Colm Moss é Professor de Medicina da Faculdade de Harvard, em Boston, nos EUA, e Diretor do Centro de Pesquisa Translacional de Doenças Inflamatórias Intestinais do Beth Israel Deaconess Hospital, também da Universidade de Harvard.

“A prevalência das doenças inflamatórias intestinais (DII) aumentou nos últimos 20 anos no Brasil – uma tendência vista em muitos países desenvolvidos. Durante esse período, as opções terapêuticas disponíveis para os pacientes com essas doenças mudaram drasticamente e continuam a evoluir”, destacou Alan, no prefácio do livro, sobre a importância da obra.

Doutor em Medicina pela University College Dublin of Ireland, Pós-Doutorado em Gastroenterologia Clínica pelo Beth Israel Deaconess Medical Center da Universidade de Harvard, o norte-americano também é Membro do Royal College of Physicians of Ireland, da American Gastroenterology Association, do European Board of Gastroenterology, do American College of Gastroenterology e da Crohn’s & Colitis Foundation of América e Revisor da Cochrane Gastroenterology e da Cochrane IBD Review.

‘Detalhado e multidisciplinar’:

“Por estarmos diante de doenças complexas e com manifestações múltiplas que englobam outras áreas, como reumatologia, dermatologia, nefrologia, entre outras, foi necessário elaborar um trabalho multidisciplinar, fator que nos motivou a convidar renomados especialistas de diversos estados do Brasil, além dos estrangeiros”, resumiu Dídia Bismara Cury.

Dados sobre o livro:
Ed. Ano: 1 edição 2011 a
ISBN-13: 978-85-7771-070-6
Formato: 17x25cm
Páginas: 464 páginas
Preço: R$125,00

Um comentário:

  1. Parabéns prima querida!
    Estamos felizes e orgulhosos por vc!
    Sabemos o quanto lutou para chegar até aí.
    Vc merece todo o sucesso e reconhecimento!
    Bjus

    ResponderExcluir