Quem sou eu

Minha foto

sou jornalista, colunista social, editora chefe do portal vilmaborges, que possui 4 blogs/coluna que falam de Bauru e sua gente, além de assuntos  como  turismo,  gastronomia, beleza, decoração, saúde, notícias nacionais e internacionais, além de agenda cultural e coberturas fotográficas.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Flora Gil é capa de Poder do mês de fevereiro





Flora Gil é capa de Poder do mês de fevereiro



A matéria de capa da edição de fevereiro da revista Poder aborda a trajetória da empresária Flora Gil. À frente do Camarote Expresso 2222, ela conta como transformou o Expresso em um dos principais camarotes do carnaval baiano. Há 13 anos, Flora lidera a marca, que em 2011 ganhou espaço próprio, de 1.500 m², na Av. Oceânica, em frente ao Barravento, no Circuito Barra-Ondina.



Em sua primeira edição, em 1998, o camarote investia R$ 300 mil e recebia cerca de 100 convidados da família Gil. Hoje tem orçamento de R$ 5 milhões e mais de 1.200 pessoas circulam no local a cada noite. “Depois de dois anos organizando o camarote só para amigos, percebi o potencial disso quando as empresas começaram a nos procurar para lançar produtos no Expresso”, recorda.



Companhias procuram a empresária para associar suas marcas ao estilo único do camarote. O Bradesco patrocina o Expresso 2222 desde 1998. “Ela é responsável, séria e, ao mesmo tempo, inovadora e dinâmica. Tem a nossa confiança”, afirma Ademir Cossiello, diretor do banco.



Na matéria de Flavia Galembeck, parceiros ligados ao Camarote Expresso 2222 comentam a dedicação e o profissionalismo de Flora Gil. “Com ela, a gente sabe que vai acontecer exatamente o combinado”, constata Marco Assub, gerente de marketing e eventos do portal Terra, que há três anos investe no camarote. “É precursora do receber bem no carnaval de Salvador”, completa.



Gilberto Gil também não poupa elogios à mulher. “Flora trouxe um nível de organização ao meu trabalho que não existia antes”, diz o compositor, que tem a carreira supervisionada por Flora Gil. Ela é quem organiza a agenda de shows do cantor no Brasil e no exterior além de negociar os cachês.



À reportagem, Flora afirma ter vontade de passar o bastão do Expresso para outra pessoa. “Dá muito trabalho”, reconhece. O marido é o primeiro a discordar da ideia. “Flora é a alma do 2222, que, sem ela, deixaria de existir”, afirma.



Com uma trajetória peculiar, a empresária soube conduzir seus próprios negócios. Em 1987, assumiu a Gege Produções Artísticas, produtora de Gilberto Gil, a qual comanda até hoje. Ela também gerencia as outras quatro empresas da família, como a Refazenda Produções, empresa de design gráfico e mídia interativa. Há ainda o selo ‘Geleia Geral’, o estúdio de gravação ‘Palco’ e a ‘Gege Edições’, que administra o uso de imagem e os direitos autorais de Gil e de outros artistas da MPB. Mais: recentemente contratou dois especialistas para ajudá-la a recuperar e catalogar o acervo de roupas e de acessórios usados pelo compositor durante sua carreira.



A matéria também ressalta as características de Flora Gil. Fátima Giordano afirma que a única irmã sempre soube se impor. “Quando um amigo me perturbava, eu ameaça de chamá-la e isso encerrava o assunto”, entrega Fafá, braço direito de Flora há 22 anos. “Ela mudou bastante, hoje não está mais tão mandona e aprendeu a ouvir. Seu maior mérito é manter a tranquilidade em meio ao caos”, elogia.



A própria Flora Gil afirma ter facilidade para lidar com esses momentos, mas quem trabalha – ou já conviveu com ela – sabe que ela não muda de ideia facilmente. “Às vezes sou implicante, chata e vou até o fim com minha opinião. Poderia melhorar isso”, afirma.



Na sede de sua produtora, no bairro da Gávea, no Rio de Janeiro, Flora conta com a ajuda de amigos e familiares que a assessoram. “Minha gestão é própria. Gosto de estar cercada de conhecidos e de formar pessoas”, pontua a paulistana radicada no Rio, que trabalha no mínimo oito horas por dia.



O ritmo fica ainda mais intenso com a proximidade do carnaval, mas ela ainda arruma tempo para cuidar da beleza, com tratamentos para a pele, sessões de drenagem linfática e consultas frequentes a duas dermatologistas, uma no Rio e outra em Salvador.



Flora também revela ser uma ótima mãe. A cantora Preta Gil, filha do compositor com Sandra Gadelha, diz que a empresária é a matriarca da família e que teve maturidade para conviver com três ex-mulheres, cinco filhos, montar um negócio e ainda cuidar da carreira de Gilberto Gil. “Ela sempre o mimou muito, faz o prato, o veste antes dos shows. Ele [Gil] é o filho que mais dá trabalho”, revela Preta.



Flora conheceu Gil na saída do show de Baby Consuelo, quando passava férias em Salvador. Ela tinha 19 anos e ele 39. Começaram a namorar no início dos anos 80. Na época, ele já era um artista reconhecido. “Gil teve a mulher certa para cada fase de sua vida. E Flora foi a que o ajudou a ser independente, como ele queria ser”, analisa Lea Gadelha, tia de Sandra Gadelha, ex-mulher do compositor.



Trechos da entrevista de Flora Gil a jornalista Flavia Galembeck para a revista Poder:



“Quando a gente produz a turnê é um bom negócio”, afirma Flora Gil, sobre agenciar a carreira do marido, o cantor Gilberto Gil.



“O tempo todo eu pensava que esse cara tinha produzido o disco Thriller, do Michael Jackson. Impossível não se abalar”, revela Flora, sobre a presença do produtor musical Quincy Jones, no Camarote Expresso 2222 no Carnaval de Salvador 2007.



“Quando escolho um presente eu não tenho paciência em esperar pelo embrulho. Pago, vou fazer outra coisa e volto depois para pegar o pacote”, revela Flora Gil, sobre sua impaciência.

créditos para o fotógrafo Gustavo Pellizzon e para a revista Poder.

Nenhum comentário:

Postar um comentário